sábado, março 28, 2009

Hora do planeta 2009


O que você vez hoje pelo planeta que residimos e que possa ser considerado 'bom' para a sobrevivência da espécie humana?

Não creio que existam pessoas suficientes pensando nisso, enquanto vivem suas vidas egoístas e egocêntricas. Melhor dizendo, não creio que haja pessoas suficientemente poderosas interessadas em obter algum tipo de ganho, poupando o nosso planeta do inevitável colapso de recursos, mesmo que esse ganho seja a continuação da própria existência. É talvez não haja mesmo.

E se dois terços da população mundial que possui algum tipo de esclarecimento, mesmo que rudimentar, sobre a valorização do meio ambiente em que vive pudesse em algum momento do dia fazer algo que evitasse ou pelo menos atrasasse o processo de putrefação devastadora a que destinamos nossa biosfera? Será que teríamos, enfim, frenado o caos futuro? A resposta é não. Simplesmente, não tem mais volta. Mesmo se parássemos as emissões de carbono e consumo das riquezas naturais neste momento, ainda sim levaríamos séculos para restaurar o equilíbrio de antes da era das trevas, antes da revolução industrial. E daí? Estamos perdidos? Bem, talvez sim.

Mas há uma parcela da população mundial que não pensa assim. Não desistiram, pois pensam na perpetuação não só de sua espécie, mas de toda a vida conhecida. Essas pessoas podem ser a chave para uma reviravolta neste jogo que mais cedo ou mais tarde colocará todos (bilhonários, miseráveis, eruditos, populares, sábios e néscios) do mesmo lado, o lado do perdedor.

Quem são essas pessoas? Onde encontrar pessoas que tenham essa preocupação? Qual o tamanho dessa parcela? São perguntas que poderiam ser impossíveis de obter alguma resposta lógica, se a resposta não fosse tão simples. As pessoas somos nós, podemos encontrar essa parcela dentro de nós mesmos e são tantas quanto existirem pessoas neste planeta, ou seja, cerca de 6,7 bilhões.

Em toda a história da humanidade e, por que não, toda a história da vida na terra, há momentos em que tudo está praticamente perdido para sempre. E mesmo assim, a mágica da vida recomeça. Opa, recomeça? Isso quer dizer que para ter um novo começo algo deve ter fim. Pode parecer assustador se pensarmos em finalizar toda a vida que temos conhecimento. Mas, não há como fugir disso.

A necessidade de recomeço defini-se pelo nascimento de um novo modo de pensar. Um modo de pensar que deve ir além do que conhecemos hoje. Devemos pensar em sobrevivência, e sobreviver com qualidade. Hoje sobrevivemos sem qualidade, estamos enterrados em lixo e poluição. Isso não pode continuar. Dentro de cada um de nós deve brotar uma semente chamada conscientização da vida. Para existir vida deve haver um meio ambiente propício a ela. Esse meio, a nossa consciencia.

Devemos agir conscientemente dos riscos que estamos empregando ao nosso património existencial. Saber o que é certo e errado não é o bastante, não é suficiente. As acões podem ser tidas como insuficientes, mas se nada for feito, então significa que desistiremos sem tentar. Ou, que não merecíamos mesmo existir. Agir de forma consciente, é agir em prol da vida. Apenas 'saber' não basta.

É dessa forma que devemos começar uma nova revolução. Primeiro, intimamente em nossa consciencia. Em seguida, transformando consciencia em atitude.
Hoje haverá uma mobilização mundial, que pode servir como um primeiro passo nesta caminhada rumo a um mundo melhor. A hora do planeta. Estarei nessa. Pode parecer simples. Mas as atitudes simples podem mudar o mundo. Faça a sua parte, conscientize-se do que é melhor para a vida, não só a sua, mas de todos e saiba que haverá outros pensando em preservar a vida, inclusive a sua.

 
PageRank